Acreditamos que a igreja cristã brasileira tem um papel essencial na rede de proteção à criança e ao adolescente. Além da do dever legal que todo cidadão carrega, temos o dever espiritual de proteger os pequeninos, afinal, deles é o Reino dos Céus (Mateus 19.14.)

Nossa missão é somar forças no enfrentamento à situação da violência sexual contra crianças e adolescentes, sensibilizando e mobilizando a igreja para uma cultura de prevenção e proteção de direitos, inclusive, estimulando a participação e protagonismo infanto-juvenil.

“A justiça engrandece a nação, mas o pecado é uma vergonha para qualquer povo.”

(Provérbios 14.34)

A Lei 12.978/2014 estipula que explorar ou facilitar a exploração sexual de crianças e adolescentes é crime. A transgressão desta lei é também um pecado e um dos nossos compromissos enquanto Rede Evangélica Nacional de Ação Social (RENAS) diz sobre “mobilizar as igrejas para que atuem como voz e ação profética, denunciando o pecado”.

“Só ele [o Senhor] cura os de coração quebrantado e cuida das suas feridas.”

(Salmo 147.3)

Além de denunciar este pecado coletivo, pois todo aquele que fecha os olhos para este mal, peca, também, com nossa “vocação pastoral, cuidar dos feridos e vitimados criando espaços de acolhimento e refugio.”

 

Saiba mais:

Igreja também é lugar seguro

Adolescentes botam a boca no trombone