As primeiras ações nos dias olímpicos, neste sábado (05), foram marcadas pela alegria da equipe, por voluntários animados e grandes desafios pela frente. Realizadas em locais de grande circulação de pessoas, brasileiras e estrangeiras, as ações contaram com a participação de três equipes: CADI-Maré, JOCUM Argentina e Comunidade Jesus Vive e Assembleia de Deus- Ministério Ide.

O CADI-Maré atuou na manhã do sábado, na região da Praça XV, onde diversas atividades turísticas estão acontecendo e atraindo um bom número de circulantes. Com uma equipe de crianças, adolescentes e adultos, o grupo ainda recebeu o reforço do projeto de palhaços: Restaurando a Alegria.

“Fiz um apelo de oração pela campanha em um grupo de Whatsapp. Interessada na campanha, uma amiga buscou mais informações comigo e me apresentou este grupo de palhaças. Pronto, as convidei para nos ajudar com o impacto na rua.” – esclareceu Maria Lúcia, membro do comitê Bola na Rede no Rio de Janeiro e que acompanhou o grupo.

P_20160805_102033

Natalia Figueiredo: palhaça Sardinha.

Natalia Figueiredo, a palhaça Sardinha e criadora do projeto Restaurando a Alegria expressou imensa alegria em participar da primeira ação: “quando soubemos dessa campanha, ardeu em nosso coração e logo procuramos participar. O que vocês fazem é exatamente o que a gente faz e ama fazer. As crianças que sofrem abuso precisam muito de pessoas como vocês. Que Que vocês continuem com campanhas como essa, porque infelizmente a exploração tem aumentado em nosso país.”

Ronald Neptune, da United World Mission, também acompanhou o grupo e enalteceu o protagonismo dos adolescentes: “Os adolescentes sabem bem como abordar o público e as palhaças ajudaram muito.”

Na tarde de sábado, duas ações aconteceram simultaneamente. Na região do Maracanã, o grupo de atuação foi uma soma de forças entre a JOCUM Argentina e a Comunidade Jesus Vive. Formado por maioria jovem, o grupo realizou abordagens das pessoas que seguiam para a Cerimônia de Abertura da Olimpíada Rio 2016.

Do outro lado da ponte que separa Rio e Niterói, o grupo da Assembleia de Deus-Ministério Ide atuou em frente as Barcas. Iniciado no fim da tarde, o grupo pode abordar um bom número de pessoas que voltavam do Rio, mas principalmente, que se destinavam a cidade olímpica para participar dos espaços públicos de interação com os jogos.

O líder do grupo, Rafael, do Ministério Ide, declarou sua satisfação em participar da campanha: “Gostei muito da experiência de estar com a Campanha Bola na Rede. Ouvimos muitos casos de pessoas que conhecem crianças em situação de exploração sexual. Não só crianças, mas mulheres e homens também. Quero poder participar e contribuir mais.”

Rafael e Mayara no término de uma vacinação.

Rafael e Mayara no término de uma vacinação.

Mayara Bráz, adolescente com 19 anos, participou pela segunda vez da Campanha de Vacinação e ficou impactada pelas abordagens:  “Achei muito gratificante. Fiquei muito impressionada com a quantidade de pessoas que pediram mais informações sobre o Disque 100. Elas pereceram interessadas em saber com funciona. Pareciam ter um caso para denunciar. Essa é a segunda vez que eu faço a Campanha de Vacinação. Da primeira vez não tinha acontecido dessa forma. Então, isso me chamou muita atenção. Foi bom saber que a gente pode levar informações pra essas pessoas que tem casos para denunciar.”

Este foi somente o primeiro dia de ações na Olimpíada do Rio. Mesmo com desafios, como a diversidade de línguas, apresentados pelos adolescentes do Cadi-Maré ao abordarem latinos de língua espanhola e da equipe JOCUM Argentina em abordar brasileiros, o grupo sente-se grato e motivado em continuar as abordagens, ajustando o que for necessário para que todos os alcançados possam ser conscientizados sobre a luta contra a exploração sexual de crianças e adolescentes. Com o desafio de alcançar 10.000 pessoas, o saldo do dia terminou em 2.121 pessoas abordadas.

Acompanhe nossas ações pelo facebook.com/bolanarederenas