O número de crianças e adolescentes que estão sendo explorados sexualmente por pessoas em viagem ou turismo em todo o mundo, tem alcançado níveis nunca vistos na história. Segundo um estudo de dois anos publicado pela ECPAT Internacional, que denunciou o que se trata de um fenômeno endêmico ao redor do mundo.

Segundo este estudo, apesar dos esforços dos últimos 20 anos para acabar com a exploração sexual de crianças e adolescentes em viagens ou turismo, esta prática ‘tem aumentado drasticamente e sua natureza tem mudando dramaticamente”, lamenta ECPT Internacional.

Agora, como tem explicado, os homens brancos, ocidentais, ricos e de meia idade já não são os únicos abusadores, mas estes podem ser tanto estrangeiros ou locais, velhos ou jovens, e alguns são pedófilos, mesmo que a maioria não seja.

“Todas/os devemos compartilhar a carga [missão] de eliminar a exploração de meninos, meninas e adolescentes em viagens de turismo. Atuar para proteger crianças e adolescentes contra este delito estremecedor onde quer que estejam é uma obrigação moral”, destaca a presidenta do Grupo de Trabalho de Alto Nível para Estudo Global sobre a Exploração Sexual de Meninos, Meninas e Adolescentes em viagens ou turismo, Najat Maalla Mjid.

A ONG salienta que o aumento do número de turistas internacionais – que passaram de 527 milhões para 1.135 milhões em 20 anos – juntamente com o fato de que hoje em sua se visitam inclusiva as zonas mais remotas do planeta, aumentam o risco da exploração sexual entre crianças e adolescentes.

 

FONTE: La Razón e ECPAT Internacional   /  Tradução para Português: Riziely Herrera

Sites interessantes:

www.redcontraeltrabajoinfantil.com

www.ecpatbrasil.org.br