Anori (3)

Chegamos à cidade de Anori, região do Baixo Solimões, a 194 km de Manaus. A cidade ainda sofre com as chuvas que atingiram mais de 50 cidades e 75 mil famílias. Ficamos tristes de ver também a cidade de Anamã toda alagada, parece que a enchente não quer mais ir embora! Mas o que nos deixou consternadas foi a situação de abuso e exploração sexual em Coari, que assim como a enchente, está longe de acabar.

Os relatos que ouvimos de mulheres e de adolescentes são terríveis! Adail Pinheiro, prefeito de Coari, suspeito de chefiar uma rede de exploração sexual na cidade, está preso desde fevereiro, mas parece que continua comandando a cidade. Até as igrejas estão divididas entre os que apoiam e os que são contra o prefeito.

Anori (2)Em Coari, as adolescentes usam camisetas com os dizeres: “eu sou 1.4”, que quer dizer que já têm 14 anos, uma idade considerada até avançada, a ponto de mesmo serem dispensadas pela quadrilha de exploradores sexuais.
Ainda assim, nossa viagem a Anori foi uma benção! Foram dias proveitosos em que fizemos a Oficina Contra Maus Tratos com jovens e adolescentes dos municípios de Anori, Beruri e Coari. Além disso, Magaly Araújo, diretora do Lar Batista Janell Doyle da Convenção Batista do Amazonas, palestrou sobre o tema no Congresso de Homens e Mulheres Batistas no Médio Solimões.

Anori (1)Estamos planejando uma ação entre os meses de agosto e setembro, com outras organizações da Renas Manaus, em prol de crianças e adolescentes que vivem em região ribeirinha.

Eu prometi à Sofia, da igreja de Coari, que pediria oração de toda a rede, para que Deus aja em favor daquelas e daqueles que não se venderam, que Deus os proteja e mantenha cada um deles distante dos exploradores e abusadores. Então, passo esta bola você, que lê este texto. Eu creio no poder da oração, e você?

Em Cristo e em rede,

 

Wilma Ribeiro, articuladora, e Magaly Araújo, apoiadora, Bola na Rede em Manaus (AM)