Vem aí a 19° edição do Mutirão Mundial de Oração por Crianças em Situação de Vulnerabilidade Social. O nome é longo e a causa mais extensa ainda! É só lembrar de algumas manchetes atuais: “Projeto no Iraque reduz a idade mínima de casamento para xiitas mulheres para 9 anos” ou “Adolescentes raptadas na Nigéria estão sendo obrigadas a se casar com sequestradores.”

O mutirão acontecerá entre os dias 6, 7 e 8 de junho e promete reunir algumas dezenas de milhares de cristãos espalhados por 40 países em intercessão pelas crianças e adolescentes que sofrem qualquer tipo de violência e maus tratos, inclusive aqueles que a mídia não noticia. Serão realizadas marchas de oração, cultos de oração e outras formas especiais de intercessão pelas crianças mais vulneráveis. Há 40 dias da Copa Mundial de Futebol, o mutirão será também um momento importante de intercessão pelas crianças afetadas por grandes eventos mundiais especialmente no que diz respeito à exploração sexual comercial.

A iniciativa é da Viva, uma organização social cristã do Reino Unido envolvida em trabalho social em 25 países diferentes. No Brasil o mutirão é promovido pela Rede Mãos Dadas e seus parceiros. No ano passado 15.500 brasileiros (de acordo com os relatórios obtidos) se uniram em oração aos 141.000 cristãos que oraram em 24 línguas ao redor do mundo em eventos que incluíram oração com os policiais bolivianos, caminhada de oração na Índia e uma ação de atar orações aos portões das casas na África do Sul. Quase a metade das pessoas que oraram eram elas mesmas crianças ou adolescentes com idade inferior a 18 anos.

Os organizadores do mutirão este ano lançam o desafio: “Como você pode transformar a sua comunidade num lugar mais amigo para as crianças?” Daí o tema: “Comunidades Amigas das Crianças” que promove o princípio de que é necessário pedir a Deus para que as crianças marginalizadas sejam amadas e protegidas, que nossos líderes sejam sábios ao criar suas políticas públicas e que as igrejas descubram uma renovada paixão pelas crianças de suas comunidades.

De acordo com as Nações Unidas, no mundo hoje, um terço de todos os nascimentos não são registrados, o primeiro e mais básico direito. Além disso, 115 milhões de crianças trabalham em situações perigosas, 61 milhões de crianças em idade do ensino fundamental não vão a escola e 275 milhões testemunham violência doméstica a cada ano.

Andrew Dubock, gerente de comunicação da Viva diz, “Queremos incentivar a todos os cristãos, onde quer que estejam naquele fim de semana — em suas casas, em suas igrejas, no seu trabalho, em espaços sociais — que se unam a nós, e que juntos nos voltemos para Deus pedindo a ele uma transformação nas atitudes e práticas das comunidades em relação às suas crianças.”

Para obter mais informações e recursos acesse www.maosdadas.org e clique no banner da campanha.

Para obter mais informações e recursos e conhecer mais sobre as ações programadas para as doze cidades sede da Copa acesse também www.bolanarede.org

 

Rede Mãos Dadas – Boletim do Mutirão Mundial de Oração 2014

Inscreva-se para receber em seu e-mail!